A produção de textos voltados à academia, diferentemente dos demais tipos, demanda alguns cuidados específicos. No entanto, as características necessárias para que um escrito seja considerado um artigo acadêmico são muito simples e acessíveis.

Desde a escolha do tema, que pode surgir de qualquer discussão, até a elaboração do texto, escrever um artigo acadêmico não é mais difícil do que tratar de assuntos complexos do dia a dia de quem precisa aplicar leis para proteger os direitos da sociedade.

Além disso, essa atividade é uma boa maneira de estimular debates. Ela aprimora e propaga conhecimento e também desconstrói posicionamentos críticos, como os da mídia e da sociedade a respeito dos honorários de membros do Ministério Público.

O QUE QUALIFICA UM ARTIGO CIENTÍFICO?

De modo geral, escrever um artigo acadêmico exige que o autor se declare. Ou seja, quem escreve não pode escrever em nome de outras pessoas. O artigo é um posicionamento daquele profissional, que vai apresentar e discutir ideias.

Todavia, não basta apenas se posicionar sobre algum tema: é preciso fazer isso de forma processual, por meio de métodos científicos de pesquisa prática ou teórica, respaldado por dados técnicos.

Para melhor esclarecer, convém uma diferenciação básica desse tipo de texto: ao criar um artigo acadêmico, o autor se atém àquele tema e aos dados relacionados. A monografia, por exemplo, pode ter seu tema destrinchado e esmiuçado em diversos capítulos.

EXISTEM ETAPAS PARA REDAÇÃO DESSES TEXTOS?

Sim. Apesar de o artigo científico poder ser elaborado sobre temas diversos, desde um estudo pessoal até aspectos secundários de alguma pesquisa, existem etapas básicas a serem cumpridas.

O marco zero é dominar as normas cultas da língua em que o texto será redigido. Isso o permitirá, por exemplo, distinguir entre voz ativa e voz passiva e construir períodos claros e coerentes. Assim, seu texto ficará muito mais conciso e fluido, eliminando repetições, por exemplo.

Outro ponto importante é o uso da linguagem impessoal, sem gírias e com adequação total ao registro da norma culta do português. Além disso, é essencial entender as atuais normas da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT).

CRIE UMA INTRODUÇÃO

Qualquer texto dirigido a outra pessoa, que não seja literário, deve ser aberto com uma introdução. Nessas linhas, o autor expõe superficialmente os pontos que serão debatidos, para informar a respeito do que escreveu e para despertar o interesse no leitor.

A escrita dessa etapa varia de autor para autor. Alguns preferem escrever a introdução apenas quando finalizam as demais partes do artigo. Outros já têm muito clara a ideia do que escreverão e, por isso, redigem a introdução de imediato. Não há regra, desde que os principais temas do artigo sejam apontados.

APONTE OS MÉTODOS UTILIZADOS

Para ser considerado um artigo científico, é preciso que ele esteja respaldado por técnicas avalizadas pela ciência. Ou seja, você precisa ter feito uma pesquisa, seja ela prática ou teórica, para justificar o que vai discutir.

No entanto, a pesquisa não precisa necessariamente ter sido executada pelo autor ou a pedido dele. Ao criar um artigo acadêmico, quem o escreve pode se pautar por pesquisas de terceiros, desde que deixe essa informação bem clara e que tenha pleno conhecimento do método e dos resultados dela.

Nessa etapa, então, é importante apresentar todo o processo da pesquisa. Informe o leitor sobre como ela foi feita, quando foi realizada, por quem foi aplicada, a quem foi direcionada e quais as metodologias que a orientaram, também como possíveis aspectos éticos respeitados.

APRESENTE OS RESULTADOS DA PESQUISA

Após fazer o leitor entender como se deu o levantamento dos dados, apresente-os. Essa etapa ainda não deve conter juízo de valor do autor. Ele precisa se ater apenas à apuração dos dados originados pela pesquisa executada.

Se o artigo for uma espécie de estudo da arte, levantando o que já foi dito por outros teóricos sobre determinado assunto, essas ideias devem ser apresentadas sem avaliações ou direcionamentos.

Caso tenha sido feita alguma pesquisa estatística, é nessa fase que o autor deve apresentar esses dados. No entanto, os recursos de tabelas e gráficos devem apenas ilustrar o texto, ou o seu conteúdo pode ficar mais parecido com um infográfico do que com um artigo acadêmico.

DISCUTA O TEMA COM BASE NOS DADOS

Por fim, cabe ao autor de um artigo propor uma discussão sobre o tema. Esse debate deve trazer seu posicionamento particular, desde que seja baseado nos resultados ou contrapondo-os.

Nessa etapa, deve-se analisar os argumentos construídos com a pesquisa. Isso é feito por meio da interpretação dos dados, comparando-os sob diversos aspectos abordados na pesquisa ou até extraídos de outras fontes — desde que devidamente apresentadas e contextualizadas.

No entanto, não basta apenas jogar provocações acerca do tema ou expor suas conclusões. O ideal é que os argumentos e fatos constatados pela pesquisa sejam estruturados de forma que o próprio leitor seja conduzido à conclusão do autor.

QUAIS OS PASSOS PARA ESCREVER UM ARTIGO ACADÊMICO?

Para que você possa redigir tranquilamente as quatro etapas básicas apresentadas anteriormente, é preciso saber criar um artigo acadêmico. E isso está diretamente relacionado a três coisas: percepção do problema, qualidade da pesquisa, e capacidade de interpretar os dados.

1. DOMINAR O TEMA

Pode parecer básico, mas muitas pessoas acreditam que basta uma dúzia de informações e dados para criar um artigo acadêmico. Porém, você precisa ter pleno domínio sobre o assunto. Uma dica é tentar dividir o tema e estudar suas partes. Assim, seu conhecimento fica mais completo e mais organizado.

2. INVESTIR TEMPO NA PESQUISA

Dedicar-se à pesquisa do tema e do problema levantado te dará argumentos suficientes para escrever um artigo científico rico, sólido e de difícil refutação. Uma dica preciosa é não ficar apenas no habitual. Ou seja, procure fontes não tão consagradas, materiais alternativos — como filmes — e metodologias diversas.

3. DETALHAR OS RESULTADOS

Como já dito, não basta apenas apresentar os resultados de uma pesquisa tabelados. É preciso relatar, por exemplo, a significância e amplitude dos dados e até incluir estatísticas inferenciais. Contudo, tome muito cuidado para não realizar uma análise estatística inadequada ou imprópria para o tema.

4. RELACIONAR OS DADOS ENCONTRADOS

Uma dica de ouro para quem está começando a criar artigos acadêmicos é, antes de escrever a discussão, elencar os pontos que foram observados durante a análise dos resultados da pesquisa. Como a discussão tende a ser a parte mais difícil do artigo, isso ajudará a organizar melhor as ideias e as relacionar.

5. ESTIMULAR DEBATES E CONCLUSÕES

Um bom artigo acadêmico é aquele que cria debates e direciona o leitor à conclusão desejada pelo autor. E isso se dará, principalmente, durante o tópico anterior. No entanto, tal passo só será efetivado se houver a publicação do artigo.

Para estimular o debate e a troca de conhecimento na área jurídica, é importante enviar seus textos para sites especializados, como a CONAMP — que podem ser enviados diretamente para imprensa@conamp.org.br.

Por fim, é importante lembrar que uma sociedade melhor e mais justa, com um judiciário mais forte, só pode ser construída com esse compartilhamento de estudos aprofundados. Então, além de enviar seus artigos, não deixe de assinar nosso newsletter para ser notificado sobre novas publicações em nosso site!

Gostou deste post?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por email!

Prometemos não utilizar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM