" Este espaço busca estimular o diálogo e a troca de conhecimentos. Os textos publicados abaixo não representam a opinião da CONAMP. A responsabilidade é do autor da mensagem. Para publicar o seu artigo, envie o documento para imprensa@conamp.org.br. "

Segunda, 11 Junho 2018 11:06

PEC da Impunidade: a vanguarda do atraso

Escrito por Victor Hugo Azevedo

Texto publicado originalmente pelo jornal Correio Braziliense no dia 11 de junho de 2018 apenas em versão impressa (caderno especial Direito & Justiça, página 2)

Desde a divulgação do relatório do novo Código de Processo Penal (Projeto de Lei nº 8.045/2010) na Comissão Especial que trata do tema na Câmara dos Deputados, o assunto tem provocado acirradas discussões entre parlamentares e profissionais da área do direito.

Entre divergências técnicas e de concepção que passam despercebidas pelo grande público e o declarado propósito de todos de modernizar o processo penal brasileiro, há um ponto que, sem dúvidas, chama a atenção da sociedade em geral. Trata-se do dispositivo incluído pelo relator do projeto, deputado João Campos (PRB-GO), que restringe as investigações promovidas pelo Ministério Público apenas a casos em que “houver risco de ineficácia da elucidação dos fatos pela polícia, em razão de abuso do poder econômico ou político”.

Primeiro, a (infeliz) iniciativa vai propiciar, seguramente, que, a cada instauração de investigação pelo Ministério Público, se instaure paralelamente – e muito provavelmente inclusive em sede judicial, - uma interminável discussão acerca da efetiva ocorrência de ineficiência da investigação policial em face de abuso do poder político ou econômico.

O fato criminoso objeto de investigação, suas consequências, gravidade, provas, etc., será abafado pelo contencioso que se dará entre Ministério Público e polícia, um afirmando a existência de risco e de abuso de poder, e o outro negando.

Por outro lado, o cenário atual do país recomenda permanente busca de agilidade, presteza e eficiência nas investigações criminais, em especial quando se trata de combater a corrupção e o crime organizado. A discussão que se impõe nesse momento deve ter como norte a seguinte indagação: quais instrumentos o Estado deve dispor para otimizar o enfrentamento a esse mal que assola o país? Instrumentos que dificultem ou inibam o poder-dever de atuação estatal em qualquer uma das fases da persecução penal estão na contramão do que a sociedade deseja e, mais do que isso, do que foi conquistado no campo social e institucional recentemente.

Em verdade, ao nos depararmos com propostas como essa automaticamente nos remetemos a um passado, não tão distante, e de grande relevância para a (re)construção histórica da democracia brasileira, quando manifestantes contrários à proposta que tirava o poder de investigação do Ministério Público bradaram nas ruas o epíteto de “PEC da Impunidade”. Tudo para deixar bem claro seu apoio às investigações promovidas pelo Ministério Público.

Naquele momento, que também, como agora, era de crise, a população entendeu que seria um grande retrocesso a PEC 37 ser aprovada pelo Congresso Nacional. A sociedade não aceitou ser privada de um instrumento cuja principal missão seria garantir maior eficiência do Estado na defesa dos bens jurídicos fundamentais do cidadão e da sociedade.

O Supremo Tribunal Federal (STF) e a jurisprudência dos principais tribunais do país já se manifestaram no sentido de referendar o poder-dever de investigar do Ministério Público. A sociedade e o Congresso Nacional também. Aguardemos, então, a divulgação da redação final do parecer do relator da reforma do CPP, na esperança de que a matéria seja revista e alterada, para que não se imponha à sociedade brasileira mais um retrocesso nas conquistas e avanços institucionais tão duramente conquistados.

Gostou deste artigo?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por email!

Prometemos não utilizar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM

ASSOCIAÇÕES AFILIADAS



 

CONAMP Notícias

Quer ainda mais novidades? Assine nossa newsletter!

Loading, please wait..