Sexta, 11 Novembro 2016 12:58

Onyx Lorenzoni apresenta relatório sobre as 10 medidas de combate à corrupção

O deputado federal Onyx Lorenzoni (DEM-RS) apresentou no dia 9 de novembro relatório favorável ao Projeto de Lei nº 4.850/2016. A matéria reúne as 10 Medidas Contra a Corrupção. 

A presidente da CONAMP, Norma Cavalcanti, e o secretário-geral, Elísio Teixeira, acompanharam a apresentação do parecer.

No parecer, Onyx acatou parte das propostas feitas no texto inicial e sugeriu alterações em alguns itens.

Ele suprimiu duas medidas previstas no projeto original: a que só permite a concessão de habeas corpus em caso de prisão ou ameaça de prisão ilegal; e a que permite a prisão preventiva quando há suspeitas de que o acusado esteja ocultando bens desviados.

O relator incluiu duas novas medidas: o instrumento da transação penal, pelo qual os réus podem reduzir suas penas mediante admissão de culpa, e a figura do informante do bem, aquela pessoa que não tem envolvimento com o crime, mas pode denunciar os criminosos e ser recompensado por isso.

Crime de responsabilidade

Um dos pontos que foram incluídos pelo relator é a possibilidade de juízes e membros do Ministério Público serem denunciados por crime de responsabilidade em caso de abuso de poder.

“A instituição do crime de responsabilidade para magistrados e membros do Ministério Público pode parecer, à primeira vista, um pouco inusitado. Tradicionalmente este crime está relacionado a infrações político-administrativas. Contudo, é indiscutível que juízes e membros do Ministério Público sejam agentes políticos”, justificou o relator.

Lorenzoni defendeu a medida em função do protagonismo que juízes e promotores adquiriram no cenário político. Segundo o relator, o objetivo da medida é dar garantias aos cidadãos, “estabelecendo-se, assim, um limite legal ao exercício da autoridade aos membros quando extrapolarem sua competência”.

E acrescentou a possibilidade de juízes e promotores serem enquadrados por crime de responsabilidade em caso de abusos, medida que não existia na proposta original.

Após a apresentação do relatório foi concedida vista coletiva.

O deputado Sérgio Vidigal (PDT-ES) divulgou voto em separado em que pede a aprovação do projeto original, apresentado pelo Ministério Público. “O projeto, na sua apresentação inicial, está em conformidade com os aspectos de mérito e juridicidade, não cabendo, a nosso ver, emendas modificativas ao texto original”, justificou.

Com informações da Agência Câmara

 

201611.11 10 medidas IMG 8330

201611.11 10 medidas IMG 8335

Não perca nenhuma novidade!

Fique por dentro das notícias sobre o Ministério Público

Prometemos não utilizar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM

ASSOCIAÇÕES AFILIADAS



 

CONAMP Informa