Quarta, 18 Abril 2018 10:16

Ministro Alexandre Moraes recebe sugestões da CONAMP sobre legislação de segurança pública

Em reunião nesta terça-feira (17), o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre Moraes recebeu da diretoria da CONAMP propostas de aperfeiçoamento da legislação relacionada à segurança pública. Além do presidente da entidade, Victor Hugo Azevedo, também participaram do encontro o 1º vice-presidente, Manoel Murrieta, o secretário-geral, Elísio Teixeira; e o advogado da entidade Aristides Junqueira.

O ministro preside uma comissão de juristas responsável pela elaboração de propostas de alterações legislativas sobre o tema.

O estudo entregue foi aprovado pelo conselho deliberativo no dia 12 deste mês. O conteúdo do documento foi baseado em outras análises realizadas no âmbito da entidade sobre as reformas do Código Penal e Código de Processo Penal.

Um dos pontos em destaque é a adoção do “plea bargaining” no sistema de Justiça criminal brasileiro. A medida irá possibilitar que o Ministério Público negocie a admissão da culpa e a pena com o acusado, com o objetivo de agregar funcionalidade e eficácia ao sistema e descongestionar o Judiciário brasileiro. A negociação seria acompanhada pelo advogado do acusado e submetida à homologação judicial. Pela proposta, não se aplicaria o “plea bargaining” aos casos de crimes dolosos contra a vida, tendo em vista a previsão constitucional relativa à competência do Júri.

Outros temas apresentados no estudo da CONAMP foram: a extinção da prescrição retroativa e a correção dos métodos de cálculo do prazo prescricional; aprimoramento da regulamentação da cooperação internacional; ampliação das autoridades policiais que podem subscrever o Termo Circunstanciado de Ocorrência; e a criminalização do recebimento de recursos oriundos de organizações criminosas.

ADI’s

Duas Ações Direta de Inconstitucionalidade foram também assuntos da reunião. A ADI 5434, proposta pela CONAMP, que questiona resolução do Conselho Nacional do Ministério Público de regulamentação do inquérito civil, e está sob a relatoria do ministro Alexandre Moraes; e a ADI 2838, que aponta inconstitucionalidade de diversos dispositivos da Lei Complementar nº 119/2002 do estado do Mato Grosso. A norma criou o Grupo de Atuação Especial contra o Crime Organizado (Gaeco).

Não perca nenhuma novidade!

Fique por dentro das notícias sobre o Ministério Público

Prometemos não utilizar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM

ASSOCIAÇÕES AFILIADAS



 

CONAMP Informa

CONAMP Notícias

Quer ainda mais novidades? Assine nossa newsletter!

Loading, please wait..