Quarta, 15 Agosto 2018 11:07

Assembleia Legislativa de Pernambuco aprova mudanças na Lei Orgânica do MPPE

Nesta terça-feira (14), a Assembleia Legislativa de Pernambuco alterou dispositivos da Lei Orgânica do Ministério Público de Pernambuco (MPPE) que regulamentam o acesso de promotores de Justiça a cargos da administração superior do MP.

A discussão é recorrente e histórica no âmbito do MP brasileiro. O tema foi abordado em uma Assembleia Geral Extraordinária da Associação do MP de Pernambuco (AMPPE) que sinteticamente propôs: 1) processo de registro de candidatura para PGJ, já que antes todos os membros que preenchiam os requisitos eram automaticamente considerados candidatos; 2) extinção do voto trinominal obrigatório; 3) a possibilidade de ocupação dos cargos de subprocurador-geral e ouvidor do MPPE pelos promotores que preenchem os requisitos para concorrer ao cargo de PGJ; e 4) uma composição mista no Conselho Superior do MPPE entre promotores e procuradores de Justiça.

O procurador-geral de Justiça (PGJ) de Pernambuco, Francisco Dirceu Barros, aderiu à proposta e acrescentou a possibilidade de ocupação das 08 cadeiras do Conselho Superior do Ministério Público e do cargo de corregedor por promotores que preenchem os requisitos para o exercício do cargo de PGJ. 

O projeto foi encaminhado nos termos apresentados pelo PGJ, obtendo, a aprovação pelo plenário da Assembleia Legislativa. Na sequência, o texto será submetido à sanção do Governador do Estado, Paulo Câmara.

Para o presidente da AMPPE, Roberto Brayner, “É uma mudança significativa. Mas para o bem de nossa instituição, não podemos permitir que os canais de diálogo interno sejam rompidos.”

Com informações da AMPPE

Não perca nenhuma novidade!

Fique por dentro das notícias sobre o Ministério Público

Prometemos não utilizar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM

ASSOCIAÇÕES AFILIADAS



 

CONAMP Informa

CONAMP Notícias

Quer ainda mais novidades? Assine nossa newsletter!

Loading, please wait..