Imprimir esta página
Terça, 07 Mai 2019 18:24

CONAMP participa da solenidade de abertura do seminário “Interações do Ministério Público na Era da Informação”

O 1º vice-presidente da CONAMP, Manoel Murrieta, esteve presente, nesta terça-feira (07), na cerimônia de abertura do seminário “Interações do Ministério Público na Era da Informação”. O evento prossegue até quarta-feira (08), na sede do Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP), em Brasília.

O evento, iniciativa da Comissão de Preservação da Autonomia do Ministério Público (CPAMP/CNMP), é voltado para membros e servidores do Ministério Público, especialmente os que têm atuação na coordenadoria de segurança ou com exercício na área de assessoria de comunicação. Ao longo dos dois dias, especialistas vão ministrar palestras e debater sobre as interações institucionais do Ministério Público na comunicação com os diversos segmentos da sociedade.

Na solenidade de abertura, o presidente da CPAMP/CNMP, conselheiro Marcelo Witzel, destacou que a finalidade do seminário surgiu com a preocupação com a segurança, com a imagem e com a forma de relacionamento do Ministério Público com a sociedade. “Este evento será uma oportunidade para que possamos entender como será a melhor forma de relacionamento e de comunicação com a sociedade, já que o trabalho do Ministério Público se dirige a ela. Além disso, será um momento para refletirmos sobre os limites da comunicação na era moderna”, disse Weitzel.

Por sua vez, a secretária-geral do CNMP, Cristina Melo, enalteceu a programação do seminário, formada por especialistas de diversas áreas, como o direito e o jornalismo, e destacou que “o tema do seminário é de interesse de todos. Os palestrantes vão levar ao público novas ideias sobre o assunto”.

Palestra de abertura

O jornalista Alexandre Garcia, que atuou por vários veículos de comunicação e que, atualmente, é colunista de política, ministrou a palestra de abertura do seminário. Com o tema “Brasil, o país do futuro”, o jornalista discorreu sobre fatos políticos e econômicos do Brasil e acerca de fake news, as notícias falsas divulgadas, principalmente, nas redes sociais”.
Para Garcia, o fenômeno das fake news é antigo, pois a mídia sempre divulgou notícias falsas, só que eram chamadas de boatos. “Um dos meios de se combater as fake news é não dar audiência aos veículos de comunicação que propagam notícias inverossímeis”, disse.

O jornalista acrescentou que as redes sociais facilitam a transmissão das informações, fazendo com que todos os usuários se tornem jornalistas. “A gente deixou de ser passivo graças às redes sociais. Todos participamos dos acontecimentos e agregamos opiniões”.

Na sequência da programação do seminário, o porta-voz da Presidência da República, Otávio do Rêgo Barros, falou sobre a experiência na chefia do Centro de Comunicação do Exército.

A programação traz outros especialistas, como o juiz de direito do Tribunal de Justiça do Mato Grosso do Sul Marcus Abreu, o jornalista William Waack, representantes do Ministério Público, da Magistratura e agentes com experiência na atuação na área de Segurança Pública.

Com informações e fotos do CNMP