Quarta, 09 Outubro 2019 17:13

Entidades de classe do MP questionam no STF a nova lei de abuso de autoridade

A CONAMP, a Associação Nacional dos Procuradores da República (ANPR) e a Associação Nacional dos Procuradores do Trabalho (ANPT) protocolaram, nesta quarta-feira (09), Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) 6238 contra a nova lei que define os crimes de abuso de autoridade (Lei nº 13.869/2019).

Conforme a petição: “o Parlamento brasileiro acabou por não manter grande parte das objeções opostas pelo Presidente da República e aprovou a lei em questão, a partir do que permaneceram criminalizados diversos comportamentos relacionados ao exercício da atividade-fim de órgãos públicos, alguns, inclusive, com funções constitucionais de soberania, contexto no qual o Ministério Público brasileiro foi gravemente atingido; não bastasse isso, os tipos penais criados pela Lei nº 13.8691/2019 são extremamente vagos, imprecisos, indeterminados e abertos, possibilitando as mais diversas interpretações do que, ao final , constituiria crime de abuso de autoridade”. As associações solicitaram concessão de medida cautelar.

Durante a semana, diversas reuniões de trabalho foram realizadas com a finalidade de preparar a peça jurídica. “A despeito de alguns dos efeitos negativos da nova lei terem sido melhorados, a exemplo da exigência de dolo específico para a caracterização dos crimes de que trata, há necessidade premente de se buscar, perante o Supremo Tribunal Federal, a correção das inconstitucionalidades formal e material constatadas no texto”, afirma o presidente da CONAMP, Victor Hugo.

Na ocasião, a Associação dos Juízes do Brasil (Ajufe) também protocolou ADI, com o mesmo assunto. A Associação de Magistrados Brasileiros (AMB) já havia realizado o questionamento e a Associação Nacional dos Magistrados da Justiça do Trabalho (Anamatra) é amicus curiae na ação da AMB.

O questionamento conjunto significa a continuação dos esforços da Frente Associativa da Magistratura e do Ministério Público (Frentas) em prol das prerrogativas de juízes, promotores e procuradores de Justiça. Há ainda um reforço nas ações de comunicação – uma coletiva de imprensa está marcada para o dia 10 de outubro, às 9h30. Na ocasião, também será divulgada Carta Aberta para adesão da sociedade.

Um ato nacional está sendo convocado para o dia 5 de novembro em todos os Estados da Federação. O objetivo é alertar autoridades públicas e sociedade sobre os riscos de intimidação da Magistratura e do Ministério que a nova lei representa. Em Brasília, a previsão é que o ato seja realizado pela manhã, no Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios.

Clique aqui e confira a íntegra da ADI da CONAMP, ANPR e ANPT

Não perca nenhuma novidade!

Fique por dentro das notícias sobre o Ministério Público

Prometemos não utilizar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM

ASSOCIAÇÕES AFILIADAS



 

CONAMP Informa

CONAMP Notícias

Quer ainda mais novidades? Assine nossa newsletter!

Loading, please wait..