Segunda, 28 Outubro 2019 16:36

Em sessão extraordinária, CNMP trata de lista tríplice para PGJ no MP/SE

Nesta segunda-feira (28), o presidente da CONAMP, Victor Hugo Azevedo, e o presidente da Associação Sergipana do Ministério Público (ASMP), Nilzir Soares, acompanharam sessão plenária extraordinária do Conselho Nacional do MP (CNMP). Entre os itens da pauta, o plenário tratou do Projeto de Lei que, alterando a Lei Complementar nº 2/1990 (Lei Orgânica do Ministério Público do Estado de Sergipe - LOMPSE), restringe a participação de promotores de Justiça no pleito para PGJ.

O relator, conselheiro Otávio Rodrigues, após a sustentação oral do advogado da ASMP, Edson Campos, reafirmou preocupação “quanto as questões formais [...] Quero salientar que [...] a caracterização de violações de caráter formal, como ressaltado na decisão, vai permitir o acúmulo de alguns indícios que, eventualmente, caso o processo legislativo avance, possam caracterizar até mesmo vício de inconstitucionalidade formal. E que este Colegiado, por minha relatoria, em um primeiro momento, e agora por todos, tem agido com extrema boa-fé, com extrema cautela, e seria bastante prudente que houvesse cautela por parte do órgão, e pelo que está me parecendo, isso não tem sido a tônica, pela quantidade de informações que demonstram o atropelo, aparentemente desnecessário neste caso”.

A conselheira Fernanda Marinela acrescentou: “Ainda que o CNMP não tenha competência para interferir na produção da lei, nós temos a competência se houve ou não desrespeito ao dever funcional das autoridades na tramitação desse processo. Também penso Presidente, nos resguardamos a possibilidade de encaminhamento à Procuradoria-Geral da República no que diz respeito a análise de inconstitucionalidade desse projeto de lei”.

Ao finalizar sua fala, o relator disse ainda que “se as duas irregularidades assinaladas se consumarem será possível a reavaliação do quadro fático-processual e a posterior outorga de tutela de urgência, ainda que haja a aprovação do anteprojeto e a remessa à Casa Legislativa estadual. Assim se afirmar porque houve a necessária cautela por parte da requerente de assinalar, a tempo e a modo, as eventuais invalidades do procedimento, as quais ainda podem-se consumar. De tal sorte que o envio ao Parlamento poderá se configurar uma forma de burla à lei, circunstância que afastaria a hipótese de fato descrita no MS 35807-Medida Cautelar, de relatoria do Ministro Fachin, do Supremo Tribunal Federal."

O plenário aprovou a análise do pedido de reconsideração da ASMP ao relator, conselheiro Otávio Rodrigues, quanto ao indeferimento de pedido de tutela de urgência sobre anteprojeto de lei que pretendia reduzir o universo de membros aptos a concorrer ao cargo de chefe da instituição.

A ampliação do rol de capacitados a exercer a chefia da instituição é uma bandeira histórica de luta institucional e classista da CONAMP. A entidade publicou nota manifestando preocupação e absoluta discordância com a iniciativa do Procurador-Geral de Justiça de Sergipe.

No dia 23 de outubro, o 2º vice-presidente da CONAMP, Tarcísio Bonfim, esteve em Sergipe e participou de reuniões com deputados estaduais. Foi entregue a nota da CONAMP e reforçado o posicionamento de que a democracia interna precisa ser cada vez mais fortalecida, garantindo-se a ampla participação dos membros da instituição nas eleições para dirigente do MP. A CONAMP ainda enviou ofícios ao Governador do Estado, Belivaldo Chagas Silva, e ao Presidente da Assembleia Legislativa, Deputado Luciano Bispo de Lima, bem como foi realizada visita institucional ao Procurador-geral de Justiça de Sergipe.

No dia 24 de outubro, foi aprovado, pelo Colégio de Procuradores de Justiça de Sergipe, o projeto de lei que restringe a capacidade eleitoral passiva. O presidente da ASMP realizou sustentação oral em plenário, apontando nulidades do procedimento, por violação do devido processo legal e dos princípios democrático, da publicidade e da transparência. Foram 12 votos favoráveis ao projeto e um voto contrário, da Procuradora de Justiça e Corregedora-Geral, Maria Conceição de Figueiredo Rolemberg, que, em sua manifestação, questionou o motivo de tema tão relevante não ter sido objeto de debates profundos com a toda a classe, bem como a celeridade com que o projeto tramitou no órgão.

O projeto de lei já foi enviado à Assembleia Legislativa sergipana. O assunto estará na pauta da próxima reunião ordinária do CNMP. 

Não perca nenhuma novidade!

Fique por dentro das notícias sobre o Ministério Público

Prometemos não utilizar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM

ASSOCIAÇÕES AFILIADAS



 

CONAMP Informa

CONAMP Notícias

Quer ainda mais novidades? Assine nossa newsletter!

Loading, please wait..